segunda-feira, 25 de maio de 2009

Abuso Sexual Infantil, o melhor caminho é a Prevenção...


Claro está, que se tem urgência em atitudes para a prevenção desse tipo de abuso. Ações já estão sendo efetivadas em algumas regiões, principalmente no Estado de São Paulo. Na cidade de São Carlos (SP) o trabalho de educar as crianças com esse fim vem sendo desenvolvido e copiado em outras regiões do estado. Nesse tipo de prevenção, as crianças são ensinadas a agir de forma a se proteger desde muito pequenas sem que seja necessário o uso da palavra “sexo”. Fazem um curso, em que são ensinadas a dizer não ao agressor e a sair rapidamente de uma situação de violência, contando o fato imediatamente a um adulto de sua confiança.
Ensina-se às crianças que há dois tipos de segredo. Um deles bom, como esconder uma festa de aniversário surpresa. Mas o segredo ruim, como alguém que faz algo que elas não gostem, esse, não podem guardar. Esse, elas têm de compartilhar com um adulto de confiança, alguém em casa ou uma professora. A outra forma de prevenção, é o Estado cumprir seu papel. As crianças que vivem em áreas sem lazer, por exemplo, são mais sujeitas a abusos sexuais principalmente quando esse fator é aliado falta de uma boa supervisão dos pais. O abuso pode ser prevenido pelo governo, pelo Estado, por exemplo, injetando dinheiro em programas de capacitação e conscientização, criando sociedades mais seguras que respeitem e protejam a criança e oferecendo lazer e lugares onde a criança possa ficar, algo como uma creche, com pessoas capacitadas.
Porém, essas formas de prevenção são insuficientes se a Justiça também não exercer o seu papel de punir o agressor. Não adianta fazermos um trabalho com o professor para que ele identifique a violência contra a criança se depois o sistema não fizer nada. Em São Carlos, até então, a impunidade era geral. O agressor sexual não era punido. E essa é uma mensagem complicada porque você está dizendo para a sociedade que esse delito não importa, que é uma coisa secundária a se preocupar. Por isso, defende-se que a criança vítima de abuso sexual possa contar à Justiça o seu caso e apontar o agressor, proposta que recebeu o nome de Depoimento sem Dano e que vem sendo estudada pelos conselhos de psicologia em todo o Brasil. Esse ato de prestar um depoimento à Justiça é sempre traumático para a criança, mas é ainda melhor do que ela silenciar sobre a violência da qual foi vítima. Ao contar, vê-se que aquilo teve um efeito sobre ela, é compartilhador. Mas isso deve ser feito com acompanhamento de gente capacitada. Ela não deve fazer isso na frente de um advogado que vai fazer perguntas ríspidas, incutindo culpa nessa criança. Todas essas dicas, estão no livro "Prevenção de Abuso Sexual Infantil: um Enfoque Interdisciplinar", da professora do departamento de psicologia da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) Lucia Cavalcanti de Albuquerque Lins e da bolsista e pós-doutoranda Eliane Aparecida Campanha Araújo, que contém importantes esclarecimentos sobre a prevenção desse tipo de abuso. Uma obra recomendada a pais, professores e todas as pessoas que mantém contato com crianças.
Pessoalmente, penso que podemos começar, vestindo nossas crianças como crianças, evitando os apelos sexuais trazidos nas músicas , novelas, filmes, televisão. Monitorando o que nossos filhos procuram na Internet e principalmente sabendo quem são as pessoas com quem se relacionam.
A criança precisa brincar, fantasiar, enfim, ser criança.
Acompanhar de perto, supervisionar, é sempre a melhor prevenção.
Lygia


(Fonte: Agência Estado)

11 comentários:

  1. Lygia, quando o sexo deixar de ser assunto proibido nos lares que o consideram ainda 'tabu' - ainda existirão crianças à mercê desses bandidos - se os pais falham, a escola, que acompanha o desenvolvimento infantil com mais observância, deve sim fazer esse papel. Que essa idéia se espalhe! Adorei!! Beijus

    ResponderExcluir
  2. Oi Luma!

    São ações efetivas que vêm sendo tomadas.Essas duas professoras lançaram o livro e esse curso de capacitação para professores. Parece que está sim se espalhando pelo menos no Estado de SP por enquanto.Espero que logo seja no Brasil todo, principalmente no Norte e Nordeste, onde as crianças sofrem tanto com esse mal.
    Estou feliz por ter nas mãos um meio de divulgar essas ações. Obrigada pela oportunidade.

    Beijos

    Lygia

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olha, Cheguei aqui, meio desconfiado, pois ainda não te conheço. Fui ficando, lendo e gostei.
    Já esteou te seguindo e voltarei mais vezes.
    Parabéns pelo belíssimo trabalho.

    Tenha uma excelente semana.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Prof. Israel!

    É uma alegria tê-lo aqui! Seja bem vindo!
    Obrigada por suas palavras,estou lisonjeada.
    Considerando sua formação, é uma opinião muito importante. Amo a educação e as crianças. Aqui vai poder aos poucos me conhecer melhor. Sou muito romântica e apaixonada porém, muitas vezes minha indignação frente aos fatos se faz presente. Escrevo aqui despretensiosamente, mas com toda certeza é um veículo poderoso para expor nossas convicções e nossa alma.
    Muito obrigada pelo elogio e volte mesmo. Tenho muito a aprender com você.

    Tenha uma ótima semana.
    Abraço

    Lygia

    ResponderExcluir
  5. oi lygia vim te agradecer por acompanhar meu cantinho fico muito feliz o seu tabm é um encanto parabens.
    sob a nayla sou a mae maia orgulho do mundo
    uma linda tarde pra vc bjuuus no coraçao

    ResponderExcluir
  6. Oi Ciganinha!

    Pode se orgulhar mesmo. é uma menina encantadora.
    Parabéns! Num momento em que falamos em violência, vc vem dar o exemplo de como mostrar o caminho aos nossos filhos. Obrigada pela visita.

    Beijos

    Lygia

    ResponderExcluir
  7. Oi Lygia, ações mais contundentes se fazem necessárias para , se não eliminar, pelo menos coibir este tipo de abuso que na minha visão é o maior crime que exite. Parabéns pela matéria.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  8. Tem selinho nota 10 pra vc la no blog.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  9. Oi Lygia...Excelente trabalho!É importante que trabalhemos para que nossas crianças sejam preservadas de todo tipo de violência.Engana-se quem acha que impedir uma criança de sonhar,de brincar, de aprender e viver sua inocência e imaginação não é violência...Aliás, as violências físicas e abusos, geralmente parte de pessoas que não vêem a fragilidade e a necessidade de cuidados dessas crianças.
    Aos pais e aos que foram confiados os cuidados dos pequenos, cabe estabelecer antes de tudo uma relação de amor e confiança, pq só assim os cuidados devidos acontecerão, bem como não haverão segredos de qualquer espécie. Não cabe a mim, dizer que castigo merecem os que abusam, maltratam e impedem uma criança de viver a plenitude de sua infância,pq não consigo pensar num castigo justo, que possa redimí-los.Só sei que se não cuidarmos dos pequenos, para que possam sonhar, brincar, aprender, imaginar e desenvolver sua criatividade, teremos cada vez mais adultos desequilibrados, violentos, sem princípios morais... Se quisermos um mundo melhor, com pessoas melhores, precisamos cuidar das crianças.Não dá pra colher amor de alguém que teve semeado na alma a dor do abuso e da violência.

    Gostei muito do seu modo de pensar a respeito da maneira de vestir os pequenos.Deixemos que sejam crianças tb na maneira de vestir e que aprendam cada coisa a seu tempo.Cuidados com a programação da tv, internet, livros e revistas tb acho importante.

    Não se trata de deixá-los vulneráveis pela inocência, mas de informá-los do que precisam saber, como não confiar em estranhos, recusar caronas, não permitir que lhe toquem o corpo seja qual for o motivo, enfim...dizer-lhes que o mundo oferece riscos e perigos, mas que têm alguém em quem podem confiar por toda a vida e sobretudo, que ser feliz é ser criança.

    Um grande abraço e mais uma vez, Parabéns!

    ResponderExcluir